Mi Cubo, Su Casa

Toda startup quer ter um escritório super cool: puffs e sofás coloridos, smart TVs nas salas de reunião, teto estilo industrial, café orgânico, espaço para happy hour, um rooftop com aquela vista sensacional…

Seus fundadores querem ter a oportunidade de trocar ideias e (por que não?) angústias com outros empreendedores. E, se puder, também interagir constantemente com grandes empresas, mentores e universidades. Mas, estamos falando de startup e tudo isso custa caro! Dá pra ter tudo isso sem estourar a conta do seu último funding round?

Nós, Linte, estamos escrevendo nossa história ao lado (e dentro) do Cubo desde o início. Vimos de perto o espaço inicial limitado — mas muito acolhedor e eficiente — se tornar o maior centro de empreendedorismo da América Latina. Em menos de 4 anos! É um orgulho e privilégio poder fazer parte desse ecossistema, mas, como startups que somos, sabemos que para crescer tanto em tão pouco tempo às vezes temos que fazer escolhas difíceis.

A Renata Zanuto, head do Cubo, conta que nos último seis meses investiram em assuntos operacionais — não é fácil, de uma hora para outra, quadruplicar de tamanho, atrair uma série de outras empresas grandes para viver este sonho junto e ter ainda uma transição de gestão. Esta descrição poderia se encaixar perfeitamente em uma startup de acelerado crescimento, né?

Mas, como toda startup, para cada momento, uma prioridade. A do Cubo em 2019 é potencializar ainda mais o sentimento de comunidade. Mas como aumentar a visibilidade das startups, elevar o nível de negócios gerados e das conexões entre as mais de 100 residentes e grandes empresas? “Estamos estabelecendo metas, coisa que não tínhamos no outro prédio, o que será muito bom para acompanhar mais intensamente a evolução das startups e engajar ainda mais com relação a conteúdo e conexões”, explica Renata.

Hoje o Cubo já oferece aos residentes, por exemplo, meetups voltados para cada área de negócio das startups, encontros mensais de founders focados em negócios, com o objetivo de compartilhamento de ideias e um programa de relacionamento com as empresas mantenedoras (mais de 20 grandes companhias), chamado de Innovation Day, onde nós mesmos montamos as agendas de conteúdo e as mantenedoras trazem seus colaboradores para ouvir o que as startups têm a dizer para o mercado. Sem falar nas diversas conexões informais que acontecem nos corredores e no Slack do Cubo.

Para a Linte é um privilégio viver em um dos espaços mais desejados do país!

“Já me peguei falando com o General Counsel de uma companhia aberta dentro da nossa sala. Não era a startup implorando para ter acesso a essa pessoa, era esse executivo com enorme curiosidade de entender nosso produto, tendências, tecnologia. E isso acontece com frequência”, conta Thiago Bonini, nosso head de growth.

Negócios à parte, compartilhamos intensamente o propósito do Cubo que, mais que proporcionar um espaço inovador, conecta pessoas! Por isso, também ouvimos o que outras duas vizinhas de prédio estão esperando conquistar em 2019 #foxtrot #eskolare

Desde meados de 2016 no Cubo, Aurelio de Padua, diretor no Brasil da Foxtrot, fundada no Vale do Silício e presente em 16 países, vê no Cubão um espaço único que, segundo ele, deve ajudar a empresa a cumprir uma estratégia global de crescimento que pretende aumentar em dez vezes o faturamento comparativamente a 2018.

“A beleza que eu vejo no Cubo e que não vi em lugar nenhum é a combinação de uma estrutura física e organizacional muito interessantes. Para nós, significa a segurança de que os visitantes que estão entrando aqui são tomadores de decisão. Ao mesmo tempo, eles têm a certeza de que as empresas que estão aqui dentro têm potencial de fazer uma disrupção legal no processo das empresas. Por isso não penso duas vezes em fazer um pitch”, revela o diretor da startup que usa algoritmos de Inteligência Artificial para ajudar motoristas a tomarem a melhor decisão em rotas de distribuição, serviços e coletas.

Erick Moutinho, sócio da Eskolare, espera um incremento de negócios transversais entre as residentes. “Estamos na maior vitrine do Brasil e isso gera a confiança necessária para fazermos negócios com agentes externos. Em 2019, gostaria que surgissem novas oportunidades para aumentarmos as concretizações de negócios aqui dentro. Temos o mesmo mindset e falamos direto com os tomadores de decisão. Por que não explorar mais isso?”, sugere o fundador do marketplace criado para escolas poderem concentrar a oferta de produtos serviços educacionais em uma plataforma digital personalizada.

Com a quantidade de eventos que acontecem todos os dias no Cubo, convidamos vocês a fazer parte desta comunidade e ser uma das 2 mil pessoas que circulam pelo prédio diariamente! Um bom começo é acessar a agenda de eventos se inscrever na newsletter. Mi Cubo, Su Casa!

Bitnami